LYRICS.AZ APPLICATION

Download from Apple Store
Download from Google Play

Andrea Barata Ribeiro - Cidade de Deus (Dadinho o Caralho! Meu Nome Agora é Zé Pequeno) lyrics

INT. BOCA-DE-FUMO DOS APÊS - DIA 62

Neguinho -- um malandro negro e franzino, que usa óculos
escuros, cordão e pulseiras de ouro -- está endolando maconha e
cheirando c**aína. Dois VAPORES de menos de 10 anos ajudam o
traficante na tarefa.
Busca-Pé está presente, contando dinheiro que tem para comprar
maconha.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.)
(...) na boca do meu chegado, o Neguinho,
eu juro que eu não teria ido lá. Nem pela
Angélica.

Alguém bate violentamente na porta. Neguinho estranha.

NEGUINHO
Quem tá aí?

Em vez da resposta, Neguinho ouve novas batidas na porta. Desta
vez, elas soam mais alto e mais violentas.
Neguinho pega uma arma e faz sinal para um dos vapores abrir a
porta.
Busca-Pé fica apavorado.
Um dos vapores, um menino com menos de 10 anos, abre a porta.
Neguinho respira aliviado e abaixa arma. Por enquanto, não
revelamos a identidade dos visitantes. Apenas ouvimos uma voz
aguda:

ZÉ PEQUENO (OFF)
Qualé, Neguinho?

Busca-Pé olha para o ponto de onde vem a voz e se a**usta mais
ainda.

Neguinho, ao contrário, se tranqüiliza.

NEGUINHO
Porra, cumpádi! Como é que vocês chegam
desse jeito na minha boca?

A mesma voz soa agora ameaçadora:
ZÉ PEQUENO (OFF)
Quem foi que falou que essa boca é tua?

Neguinho faz cara de apavorado.
Imagem em still.

(CONT.)FUSÃO PARA:
Sucessão de ações com a câmera registrando sempre no mesmo
ângulo a Boca dos Apês.
Os personagens que vão sendo apresentados na narração de BuscaPé
aparecem e somem como fantasmas.
O ambiente pouco muda: uma mesa aparece ora num lugar ora em
outro; há mais ou menos móveis e objetos em um momento ou outro;
mais ou menos armas etc.
No começo, vemos apenas um colchão.

BUSCA-PÉ (V.O.)
A boca-de-fumo dos Apês é uma história à
parte...

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

VELHA BÁ -- uma mulher de aproximadamente 40 anos -- fazendo
s**o oral com o jovem mulato GRANDE.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (CONT.)
Quem começou a usar aquele apartamento dos
Apês pra vender droga foi a Velha Bá. Às
vezes ela dava droga pra molecada, em troca
de algum favor especial... O favorito era
moleque chamado Grande!

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

Grande, agora adulto, muito alto e com cara de poucos amigos,
expulsa a Velha Bá com um chute na bunda.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
Daí, o Grande cresceu... O esquema da Bá
era tão amador, que foi fácil pra ele tomar
conta do negócio...

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

SANDRO CENOURA -- um menino branco, sua muito, está apenas de
calção (ou seja: sem camisa e descalço). Ele tem em volta do
pescoço um TRAPO BRANCO sujo e rasgado, que ele usa para enxugar
o suor do rosto e do peito.
Cenoura recebe trouxinhas de maconha de Grande. Na boca também
estão presentes outros moleques.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
O Grande usava a molecada dos Apês pra
trabalhar vapor. Eles é que levavam a droga
pelo conjunto. O vapor mais esperto da boca
do Grande era um moleque branco e seboso
chamado Sandro Cenoura.

(CONT.)EFEITO DE TRANSIÇÃO.

Sandro Cenoura -- agora com uns dezesseis anos e melhor vestido -
- recebe de Grande uma TOALHA DE ROSTO branca: Grande tira o
trapo que está em volta do pescoço de Cenoura e,
ritualisticamente, o substitui pela toalha nova.
Observando a cena, está o jovem Neguinho, futuro dono da boca.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
O Cenoura ganhou a confiança do Grande. Foi
subindo de posto, seguiu direitinho o plano
de carreira do tráfico... até virar gerente
da boca...

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

O ambiente está repleto de vapores fazendo trouxinhas de
[Lyrics from: https:/lyrics.az/andrea-barata-ribeiro/-/cidade-de-deus-dadinho-o-caralho-meu-nome-agora-e-ze-pequeno.html]
maconha. Entre eles, destaca-se Neguinho.
Cenoura, já com uns 18 anos, -- sempre enxugando o suor com a
toalha branca -- está recebendo a visita do amigo ARISTÓTELES,
também branco e mais ou menos da mesma idade de Cenoura.
Cenoura oferece um baseado já aceso para Aristóteles, que fuma
com prazer.
Cenoura é sem dúvida o manda-chuva do pedaço.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
Um dia Cenoura recebeu na boca um amigo
dele de infância: o Aristóteles. Numa época
em que Cenoura tinha sido expulso de casa
pelo pai, a família do Aristóteles deu
guarida pra ele: casa, comida e roupa
lavada. Agora, era o Aristóteles que tava
precisando de ajuda...

ARISTÓTELES
Meu irmão, vou te dar um papo responsa, morou? O caso é o seguinte: tô desempregado, minha mina tá tendo aí que fazer uma operação dum caroço que apareceu aí na barriga dela, tá sabendo?

CENOURA
Quer dinheiro?

ARISTÓTELES
Não! Quero que tu me arruma um peso pra eu
pa**ar aí no sapatinho, sabe qualé? Tu me
dá o peso que eu vendo rapidinho.
Cenoura entrega um pacote grande de maconha para Aristóteles.

(CONT.)BUSCA-PÉ (V.O.)
Cenoura deu um força pro Aristóteles... Só
que nunca mais viu o dinheiro da maconha
que ele tinha pa**ado pro amigo.

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

Cenoura e Grande sozinhos na boca. Cenoura está cabisbaixo e
suando mais do que de costume: não pára de se enxugar com a
toalha.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
E teve que se explicar pro Grande...
Grande fala com frieza e solenidade:

GRANDE
Ou tu pa**a o cara. Ou eu te pa**o você.

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

Cenoura aponta uma arma contra a cabeça de Aristóteles que, de
joelhos, implora por clemência.

ARISTÓTELES
Porra, mermão! A gente é amigo! Tu tem que
me dá uma chance, porra! Cenoura, me
escut...

Cenoura dispara, e chora sobre o cadáver de Aristóteles.

BUSCA-PÉ (V.O.)
O Cenoura não teve escolha... Também, uma
história com um cara chamado Aristóteles,
só podia acabar em tragédia. O Cenoura
sentiu vontade de matar o Grande, mas nem
precisou...

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

Cabeção e outros policiais levam Grande preso.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
O Grande foi preso pelos samangos e morreu
na cadeia.

EFEITO DE TRANSIÇÃO.

Sandro Cenoura está conversando com Neguinho.

BUSCA-PÉ (V.O. cont.) (cont.)
O Cenoura tomou conta de tudo o que era do
Grande. Mas não quis ficar com a boca dos
Apês. Pra ele, aquele lugar era maldito. O
Cenoura deixou a boca pro vapor que ele
mais confiava.

(CONT.)CENOURA
Aí, Neguinho. Tu é meu homem de confiança.
Eu vou montar outra boca lá na Quinze. Tu
me pa**a uma parte do que tu faturar aqui.
É só tu respeitar meu território que num
vai ter arengação. Combinado.
Neguinho sorri radiante.

FUSÃO PARA:
Voltamos à mesma ação que deu início ao flash-back, vista agora
de um outro ponto de vista.
Vemos a cara de pânico de Neguinho.

BUSCA-PÉ (V.O.)
Foi a**im que boca-de-fumo dos Apês ficou
na mão do Neguinho. Mas isso também não foi
por muito tempo...

Uma vez mais, ouvimos a voz aguda e ameaçadora:

ZÉ PEQUENO (OFF)
Quem foi que falou que essa boca é tua?
NEGUINHO
Qualé, Dadinho? Tu...

Finalmente revelamos o dono da voz: Dadinho -- agora com 18 anos e com o nome de Zé Pequeno. Atrás dele estão BENÉ -- mesma faixa etária -- e TUBA -- um pouco mais jovem e com jeito de bobo.

ZÉ PEQUENO
Dadinho o caralho! Meu nome agora é Zé
Pequeno, tá entendendo?

EFEITO: close de Zé Pequeno em still.

Correct these Lyrics